Mundo

Governo japonês pretende relaxar leis que restringe visto para animadores estrangeiros

O governo japonês pôs em prática os planos para relaxar as leis que regulamenta o status de visto para estrangeiros que pretende trabalhar em diversas áreas da indústria japonesa, incluindo a de animação.

Em março o governo criou o "Cool Japan Talent Raising Investigation Commission" para analisar junto com especialistas e profissionais, problemas relativos ao tema, a comissão examinará cada instituição comercial e educacional com o objetivo de alterar os requisitos de visto já no próximo ano.

Para obter o visto o estrangeiro tem que preencher diversos requisitos rígidos para trabalhar em determinadas áreas, como se formar em faculdades japonesas ou escolas vocacionais em áreas especificas como animação, design ou culinária. Alguns vistos chegaram a ser negados mesmo após preencher esses requisitos, impedindo que estes permanecessem no país.

De acordo com a regulamentação vigente, os graduados em certos campos, geralmente devem ter conhecimentos ou habilidades excepcionais para obter um visto. Por exemplo, os graduados de campo vocacional que procuram trabalhar na indústria da roupa podem conseguir vistos para empregos de alto nível, como design ou planejamento de mercadorias, mas não para empregos de nível básico, como costurar. Por isso alguns no governo estão agora considerando um método “mais realista” para encorajar um “período de treinamento” para novos funcionários nas empresas, onde eles poderão trabalhar em tarefas de nível inicial por um período de um ou dois anos, mais ainda sim serão capazes de adquirir um visto.

A medida faz parte de uma revisão das leis nacionais japonesas que protegem as "zonas econômicas especiais" que são regiões da economia regulamentadas como saúde e agricultura, para reforçar e promover o crescimento econômico.

O governo japonês e vários países apoiam o "Cool Japan" com a finalidade de promover a moderna cultura japonesa, como animes e mangás no exterior. O programa gira em torno da premissa de que a força do Japão nos negócios e assuntos internacionais reside no anime, manga, filmes, moda e outros campos de artes e entretenimento japoneses.
Postado a .
Por Mark.
Tags: